Arquivos de setembro 2017

Alta gastronomia e luxuosas experiências em duas rodas

Um evento diferenciado no qual o público poderá passar um final de semana pilotando as melhores motocicletas vendidas no Brasil, desfrutando de uma gastronomia sofisticada, participando de palestras sobre harmonização de vinhos, assistindo um desfile de moda especialmente voltado para motociclistas além de uma gama de experiências incríveis para toda a família.

Leia matéria completa Neste Link

Inovações Tecnológicas na Produção de Refeições e sua Relação com o Controle de Desperdício de Alimentos

Qual a procedência dos alimentos usados para preparar as refeições na sua casa e/ou estabelecimento e qual a quantidade de resíduos gerados? Uma das tendências para a alimentação é voltada para um consumo mais consciente e focado, combate ao desperdício e atenção à saúde e à sustentabilidade, além disso, os comensais estão em busca constante por conhecer a procedência dos alimentos. Esse é um novo comportamento que veio para ficar. Atualmente, estima-se que 30% do que é produzido em restaurantes e similares são descartados. O manuseio dos alimentos para o preparo de refeições, não se resume a usar facas, panelas, forno e fogão. A tecnologia para a produção de alimentos avança a cada dia, trazendo soluções em equipamentos, produtos e processos.

A inovação tecnológica é a aplicação de um novo conjunto de conhecimentos ao processo produtivo, que resulta em um novo produto, em alterações em algum atributo do produto antigo e/ou no grau de aceitação do produto pelo mercado, traduzindo-se, em geral, em uma elevação do nível de lucratividade e/ou posição da empresa no mercado. A qualidade da refeição está relacionada à qualidade da matéria prima, armazenamento, processos produtivos e distribuição de refeições. Neste contexto, as inovações tecnológicas contribuem para melhoria da refeição servida, através de novos equipamentos, produtos alimentícios e/ou processos produtivos. Todos os envolvidos na cadeia produtiva dos alimentos são responsáveis por não desperdiça-los, por isso, é necessário constante acompanhamento e controle dos resíduos gerados durante sua manipulação.

O desperdício é proveniente da sobra de alimentos (alimentos preparados e não distribuídos) e restos (alimentos distribuídos e não consumidos). O indicador resto ingestão de alimentos (alimento que resta no prato, ou seja, o que o cliente não consumiu) aponta que refeições com melhor padrão de qualidade reduz o desperdício, devido à melhor aceitação por parte da clientela. Neste contexto, as inovações tecnológicas contribuem para melhoria da refeição servida.

O controle de sobras e uma avaliação contínua do planejamento de cardápio, principalmente em relação ao per capita das preparações, reduzem o desperdício. Para que haja diminuição dos índices de desperdício é necessário um planejamento correto do número de refeições, avaliação do rendimento da matéria-prima, envolver toda a equipe para traçar metas atingíveis de controle de sobra, treinamento e conscientização da equipe, preparar alimentos aos poucos, sempre que possível, manter durante todo o tempo de distribuição uma excelente apresentação dos pratos e por meio de campanhas de combate ao desperdício melhorar a conscientização dos comensais. Observando, estas medidas de planejamento, controle, treinamentos, conscientizações e utilizando-se das inúmeras oportunidades de inovações para alimentação, certamente, haverá a otimização dos resultados na produção de refeições. O comprometimento para o combate do desperdício deve envolver a todos, desde o proprietário dos estabelecimentos, os seus funcionários e seus fornecedores, atingindo aos seus clientes, através de ações compartilhadas por todos os participantes e usuários do sistema de produção de refeições. Além disso, são aspectos essenciais para o sucesso de qualquer empreendimento do ramo: estratégias administrativas que abrangem a estrutura física e funcional, segurança dos alimentos, preparação de receitas, marketing, satisfação do cliente, adequada gestão dos recursos humanos e materiais, controle de custos, reconhecimento do mercado, entre outras. Como em todas as áreas, é necessário, constante atualização na área, através de estudos sobre às novas tecnologias na produção de refeições e sua relação com o controle do desperdício.

Renata Bendel